Babywearing durante a gravidez

por Julia Wronikowska Nunes

“Estou grávida, posso continuar a carregar o meu filho ou filha?” Esta é uma das perguntas mais comuns para quem adora carregar os bebés apertadinhos.

A resposta é simples – Sim!!!

 

Em geral, para uma mãe habituada ao babywearing, não há qualquer contra. Aplica-se a mesma regra que a qualquer outra atividade da nossa vida: a gravidez não deve ser disruptiva com o nosso estilo de vida e devemos manter o mesmo tipo de atividade física e de esforço. Praticas natação? Continua a nadar! Praticas corrida! Continua a correr! Praticas babywearing? Continua a carregar o teu bebé!

Naturalmente não é altura para bater o nosso record pessoal na mini maratona, nem de fazer uma peregrinação com um bebé no pano e outro na barriga! Também é aconselhável que falem desde cedo com o vosso médico sobre os porta bebés e esclareçam se a vossa gravidez tem alguma restrição.

 

A amarração deve acompanhar o estágio da tua gravidez

Não havendo restrições, só tens que ir ajustando a amarração ao estágio da tua gravidez, para manteres uma amarração ergonómica e confortável, sem aplicar pressão na barriga.

Até aos 3 meses a barriga ainda está pequenina e qualquer amarração fica confortável. Também ainda não há grandes restrições a manter as amarrações no peito e anca, se vos for confortável.

Conforme o tempo passa e entramos no segundo trimestre a barriga cresce, o nó da amarração tem que subir para mais perto do peito ou para as costas ou por baixo da barriga, para evitar pressão sobre a barriga e para manter um aperto confortável para a mãe.

O terceiro trimestre é o que traz maiores desafios. A barriga está bem grande e aparece uma dorzita no joelho, outra na lombar, a ciática a ficar teimosa. O nosso centro de gravidade muda, perdemos agilidade e mobilidade e as amarrações tem que acompanhar esta fase.

A minha recomendação durante a gravidez é fazer sempre a amarração nas costas, mesmo durante o primeiro trimestre, pois é a solução mais segura e confortável.

babywearing-durante-a-gravidez

 

Quais os porta-bebés adequados para a gravidez?

Como em tudo no babywearing, temos muitas opções. Claro que escolha depende sempre das preferências individuais mas deixo-vos um resumo das minhas sugestões para a gravidez.

  • Pano: Na minha gravidez só usei panos. Gostei de possibilidade de mudar as amarrações de vez em quando, especialmente porque conforme o corpo muda, a amarração habitual torna-se desconfortável e temos que usar uma outra. Recomendo este video da Tanya Tougas para vos ajudar a fazer uma amarração nas costas;
  • Onbuhimo: Uma espécie da mochila ergonómica mas sem cinto. Não cheguei a usar este porta-bebé em nenhuma gravidez, mas pedi uma opinião à Ana Cristina sobre como é usar um onbuhimo durante gravidez. Caso queiram experimentar, vejam este vídeo da Chelsea Wybrow que explica como amarrar o onbuhimo nas costas;

Para quem faz babywearing com regularidade, quando se engravida novamente existe um mix de emoções entre a nova vida e a incapacidade de continuar a mimar o nosso filho carregando-o. Com o Onbuhimo, o problema fica solucionado! Podemos continuar a “usar” a nossa cria e ao mesmo tempo manter uma gravidez com toda a segurança sem apertos de cintos ou faixas. Com o Onbu, as alças são reforçadas e almofadadas permitindo conforto, e todas as correias são ajustáveis para que a segurança exista. A ausência de cinto possibilita o uso até às 35 semanas de gestação (pelo menos).

– Ana Cristina Duarte, membro do grupo do Facebook Babywearing Portugal 

onbuhimo-durante-a-gravidez

 

  • Podaegitambém um porta-bebé sem cinto, mas com abas, com a particularidade de poder ser amarrado da mesma maneira que um pano tecido. Podem aplicar as abas de forma a que nunca apliquem pressão sobre a barriga. Recomendo o passo-a-passo publicado pela Breanne Kerr que é muito claro sobre como usar um podaegi nas costas;
  • Mei-tai: Apesar deste tipo de porta-bebés ter um cinto, é feito de tecido e é muito maleável e versátil, podendo ser apertado de forma a ser confortável e seguro, por exemplo, abaixo ou acima da barriga. Vejam este passo-a-passo da Rachel Boarman para aprenderem a apertar o mei-tai nas costas;
  • Sling de argolas: este pode ser usado da forma convencional, na anca, mas no meu caso reparei que começou a tornar-se muito desconfortável. A vantagem do sling é que podem deslizar facilmente a amarração para as costas. Este vídeo da Rachel Boarman pode ajudar-vos a transferir a amarração do sling para as costas;

 

O que devemos evitar durante a gravidez?

Primeiro que tudo, evitem contrariar as recomendações do vosso médico em situações de gravidez mais delicadas. O babywearing a 3 exige algum esforço adicional da mãe e tem que ser uma solução funcional e segura para todos.

Mantenham também atenção aos sinais do vosso corpo e evitem forçar as amarrações, caso vos causem desconforto ou dor, mesmo que ligeira. E não centralizem a vossa atenção apenas na barriga. Os ombros, o meio das costas, as coxas e os joelhos podem também apresentar desconforto que não deve ser ignorado.

Também recomendo evitar mochilas ergonómicas durante a gravidez. Todas as mochilas são desenhadas para usar o cinto na cintura, exatamente em cima da zona onde o nosso bebé se vai estar a desenvolver. Baixando o cinto para a nossa bacia mudamos o centro de gravidade e o peso da criança fica exatamente na zona da bacia e pélvis. Estas partes do corpo já estão sobrecarregadas com o peso do bebé novo e adicionar uma amarração e o peso do outro filho pode causar dores na coluna e na zona lombar, entre outras.

 

Partilhem em baixo as vossas experiências sobre babywearing durante a gravidez.