Férias à séria é com babywearing, parte 1

por Nuno César Nunes

Já de férias ou em contagem decrescente? Costumo dizer que, nesta altura, já nem interessa muito. Aquela antecipação que sentimos nos últimos dias antes de as férias começarem, para mim, já conta como férias.

É aquele momento em que fechamos assuntos, ou que os passamos para alguém tratar deles, ou que simplesmente decidimos deixá-los a aguardar o nosso retorno. Isto porque nestes últimos dias pré-férias nenhum assunto consegue superar a prioridade, importância e urgência de mergulhar na água fresca do mar, passear com a esposa ao sol ou comer gelados com os miúdos.

Olha a bolinha de Berlim, Berlim, Berlim…

Com o passar do tempo e especialmente depois de nascerem os miúdos, as férias tornaram-se um dos momentos mais importantes para toda a família. Não somos de meias medidas e normalmente tiramos, pelo menos 3 semanas completas de férias. Há dois anos foram 3 semanas e 1 dia. O ano passado, 3 semanas e 3 dias. Este ano vão ser 3 semanas e 2 dias.

Estas três semanas servem para aquilo que as férias servem para todas as famílias: quebrar a rotina, espairecer, recarregar baterias. Visitar a família, ver amigos de longa data. Ir à praia, passear, estar na galhofa com os miúdos. No nosso caso, visitar a nossa (outra) terra, lá do outro lado da Europa.

Lisboa-Varsovia-GoogleMaps
Fonte: Google Maps, Lisbon to Warsaw

 Mas com toda a emoção que rodeia este evento anual, vem também uma logística absolutamente brutal. A roupa. As fraldas. A alimentação da bebé. Os brinquedos. O carrinho de bebé. O carrinho do outro bebé. O planeamento das paragens para o meu mais velho ir fazer xixi. As malas. O portátil. O tablet. Os telemóveis. Os bilhetes de avião. Os humores de dois humanos-miniatura fechados durante 4 horas num tubo a 40 mil pés de altitude.

Esquece a bola de Berlim, quero é voltar ao trabalho…

Começo hoje uma sequência de posts que serão lançados durante este mês e o próximo para acompanhar o período de férias com algumas das ajudas que o babywearing nos pode dar para simplificar a nossa vida e nos permitir disfrutar mais e melhor.

Vou aventurar-me em temas como ir de férias sem carrinho de bebé (parte 2), o porquê das birras de férias e como resolvê-las (parte 3), as viagens de carro, comboio e avião (parte 4) e até como simplificar uma ida à praia (parte 5).

Certamente irão franzir o sobreolho quando lerem parte das ideias que vou partilhar, mas acreditem, eu sou um “quadrado” nestas coisas de babywearing e via com muita desconfiança cada uma das sugestões que agora apresento. Já fiz o contrário daquilo que escrevo e arrependi-me deveras. Essa é a razão que me motiva a escrever sobre este tema.

Na próxima semana trarei a segunda jornada, sobre ir de férias e ter a coragem de deixar o carrinho de bebé em casa.

Férias à séria, é com babywearing. Espero que gostem. Se não, têm sempre a bola de Berlim, Berlim, Berlim.

Bola-de-berlimFoto por maryfefireis, CC BY-ND