7 super poderes úteis a qualquer pai

Acredito que quase todos os pais tiveram um gosto especial por um super herói quando eram pequenos. E continuaram com esse gosto quando se tornaram jovens adultos. Nessa altura, por volta dos 19, 20 anos, os super heróis não eram ídolos, eram opções, alternativas para aquilo em que ainda nós iríamos tornar. E tínhamos que escolher um, o nosso preferido.

Agora que somos pais adultos, maduros, conscientes, percebemos que a vida não é assim e que o ideal mesmo seria reunir um poder de cada super herói!!!

Aqui fica a minha lista, por ordem crescente de importância.

7. Super-homem

Do Super-homem apostava na sua capacidade de fulminar as coisas com os olhos ou de as gelar com um sopro.

7-superpoderes-uteis-a-qualquer-pai-superman.jpg

Ajuda em todas as idades do bebé. Para aquecer a água do banho num ápice, ou para a refrescar caso fique demasiado quente. Ou caso o puto já seja maior e queira brincar mais no banho, nada de voltar a recorrer à misturadora, basta um olhar e lá vem mais meia hora de brincadeira.

Para aquecer o leite, também seria fantástico, já que a logística do banho Maria causa-me tensão alta e já não temos espaço na bancada para um aquecedor de biberões. E até porque quer-me parecer que, quanto maiores são os putos, mais impacientes são pelo leite…

6. Homem-aranha

Sem sombra de dúvidas, disparar teias peganhentas e inquebráveis a partir do meu pulso é fundamental para ser um pai de sucesso. Imaginem quantas vezes já escovaram os dentes com um bebé no colo, ou nos braços, ou no pano?

7-superpoderes-uteis-a-qualquer-pai-spiderman.jpg

Não era ideal suspendê-los à entrada numa teia apertadinha que os deixasse a balançar à nossa frente durante uns minutos enquanto tratamos das nossas cenas?

5. The thing

Da coisa, escolhia a força destrutiva interminável, para poder esmigalhar ingredientes com um único soco, e isto sem deixar a mínima marca na bancada da cozinha!

7-superpoderes-uteis-a-qualquer-pai-fantastic-four-poster-the-thing

Miúdos, não tentem fazer isto em casa…

Mas… para quê?

Para quê? Para quê?! PARA QUÊ?

Por exemplo, para fazer puré de fruta fresca instantaneamente, ou para esmigalhar a banana para as panquecas enquanto a pequena dorme.

4. Darth Vader

Não quero aqui abrir uma discussão sobre quem é quem na Guerra das Estrelas. Para mim, como pai, shhh, chiu, chihó (com o segundo h aspirado – a fonética portuguesa de chicho, a palavra polaca para chiu) são as palavras que mais vezes me saem da boca, seja para confortar os miúdos, seja para os adormecer, seja para avisar que a democracia está prestes a cessar.

7-superpoderes-uteis-a-qualquer-pai-starwars.jpg

Nada melhor que ter um chiu já incorporado na respiração e sincronizado com o batimento cardíaco. Até nem precisava da capa preta ou do capacete, bastava-me aquela perturbação respiratória aparente. Sim, mas só o ruído, não quero cá tosse, catarro e inflamações nos pulmões…

E eu sei que há vídeos no YouTube com white noise e aplicações para o telemóvel e isso tudo, mas depender da internet ou do volume do iPhone não é a mesma coisa, o que me dava jeito mesmo era este super poder.

3. Peppa Pig

Nunca durante a minha adolescência imaginei que o meu top 3 de super heróis estaria uma suína de sotaque britânico viciada em muddy puddles e que fala pelos cotovelos. Até podia imaginar que, se o top 3 tivesse uma super heroína, seria a Catwoman, a Wonderwoman, a Aeon Flux ou a Leeloo Minaï Lekatariba-Laminaï-Tchaï Ekbat de Sebat. Mas nunca a Peppa Pig.

7-superpoderes-uteis-a-qualquer-pai-peppa-pig

A verdade é que estas “brasas” da minha juventude que salvam o mundo e protegem a Amazónia, que têm uma relação amor-ódio com o Batman, que têm como missão assassinar os maus ou que são simplesmente humanóides com uma força e poder incalculável, de nada me servem para convencer os putos a comer a sopa. Já a Peppa Pig, é minha aliada nesta missão.

2. Ratatouille

Este é um dos meus favoritos e para mim é o que falta à humanidade. Eu sei que ninguém é perfeito, mas precisávamos mesmo que a natureza nos tivesse presenteado com este super poder.

7-superpoderes-uteis-a-qualquer-pai-ratatouille

Agora dizem vocês, o Ratatouille não é um super herói, é um rato…

Ai sim?

Um ser que, com dois puxões de cabelo, põe um humano a fazer o que quer e bem lhe apetece? Ao ponto de cozinhar com proficiência e ser reconhecido mundialmente como um especialista de cozinha?

Para mim, isto é cena de super herói. Ai se eu pudesse dar uns puxõezitos no cabelo do meu mais velho sempre que ele tenta trepar os móveis da sala, ou quando lhe apetece mexerão fogão, ou quando lhe dá para praticar com o sabre de esferovite de volta das porcelanas…

1. A minha esposa

Em 1963, John Coltrane e Johnny Hartman escreveram uma música chamada My one and only love, eternizada depois por vários gurus do jazz, como Sinatra, Ella Fitzgerald, Diana Krall e Sting (a minha versão favorita). Começa assim…

The very though of you makes my heart sing
Like an April breeze on the wings of Spring
And you appear in all your splendor
My one and only love…

E quando lemos a letra ou ouvimos a música pensamos num galã triste, tipo Brad Pitt, numa multidão imensa durante uma festa ao ar livre, e o seu rosto a iluminar-se com a chegada da sua musa, tipo Olivia Wilde ou Claire Forlani.

Sim, estive a ver o Meet Joe Black durante as férias de Natal…

Mas eu penso no meu mais velho a tocar bateria com a colher de pau nas panelas da cozinha e a minha mais nova, ainda rastejante, a tentar trepar o caixote do lixo. O jantar a fazer, o exaustor a berrar na velocidade máxima, a bimby a zumbir e os dois miúdos a parlar ruidosamente e eu, sem nenhum dos 6 super poderes que referi, a dizer shh, chiu, chico, e outras derivadas, enquanto pico cebola, aqueço a comida e mantenho os dois fora de perigo de vida…

E depois chega a mãe à porta, saída do duche, ainda descalça, com as calças cor de rosa, uma camisola com capuz e uma toalha amarela no cabelo. Entra sobressaltada com o ruído intenso e…

O tempo pára…

O mundo pára…

Tudo acalma…

Os dois miúdos param, sorriem e sossegam. Fazem silêncio e vão em direcção da mãe. E o jantar quase que magicamente fica pronto, como se o fogão tivesse estado todo aquele tempo totalmente focado em fazer a minha vida num inferno, apenas à espera que a minha esposa chegasse para que tudo acontecesse num estalar de dedos.

Para mim, este é um super poder, a capacidade de fazer as coisas ficarem bem, apenas estando, aparecendo. Dava jeito…

…and you appear in all your splendor…

#cenasdepai