Porque razão é tão difícil traduzir babywearing

por Nuno César Nunes  

O nosso dia-a-dia está cheio de palavras, expressões e frases estrangeiras. Deixámos de imprimir para fazer print. O e-mail substituiu o correio electrónico e já ninguém corre, praticamos running. Nas empresas já não há próximos passos, é tudo next steps. E por muito que concorde que cortar-colar pareça uma atividade digna de uma caverna, não dependemos assim tanto do copy-paste.

Mas há outras palavras que, por muitas voltas que dê, não encontro solução. Bricolage. Blog. Facebook. Puzzle. Surf. Muitas surgem recentemente, associadas ao mundo digital em que vivemos, mas outras existem há anos. Todas transmitem uma ideia cuja tradução nunca consegue cumprir todo o significado dessa palavra na língua original.

Babywearing

 

To Wear & To Dress

Acho que esta dificuldade começa logo pelo fato da nossa língua reutilizar o verbo “vestir” para duas ações distintas. Apesar do Português ser muito rico em diversos contextos, aqui limita-nos. A ação de colocar uma roupa no corpo ou de andar com essa roupa só tem uma forma de ser verbalizada, através do verbo “vestir”.

O Inglês separa as duas ações em dois verbos distintos, aquela em que colocamos roupa no corpo (To Dress) e aquela em que andamos com roupa vestida (To Wear).

to-dress-definicao
Fonte da imagem: Google.com,  define: dress

To-wear-definicao
Fonte da imagem: Google.com, define: wear

 

Babywearing: um nome e um verbo

A língua inglesa dá-nos também uma versatilidade adicional, em que facilmente transformamos um nome num verbo ou um verbo num nome. Do nome Google surgiu já o verbo To Google, que designa a ação de procurar no Google. Não sabias? Google it.

to-google-definicaoFonte da imagem: Google.com, define: to google

E assim acontece com o babywearing. É um verbo que designa uma ação, ação essa executada por um babywearer. E transforma-se também num nome que representa a prática de babywearing.

babywearing-definicaoFonte da imagem: Google.com, what is babywearing

E se “Googlar” até encaixa bem no português, “Babywearar” não me parece uma opção

 

Babywear tem estilo

Vestir é uma atividade normal, regular, habitual. É algo que todos fazemos todos os dias. A toda a hora. Acordamos de manhã e vamo-nos vestir. Está frio na rua, vestimos um casaco. É hora de ir dormir, vamos vestir o pijama. Vestir, vestir, vestir.

To Wear é muito diferente. É algo persistente, que fica connosco, mesmo depois da azáfama de escolher a roupa para vestir, ao mesmo tempo que os nossos pequenos repetem insistentemente o nosso nome e que nos confirmam a cada segundo que vamos chegar atrasados ao trabalho. Vestir termina aí, to wear persiste. Além disso, tem estilo ao dizer. O som enche a sala e preenche a alma. É uma palavra cheia de boa educação, de respeito. É sofisticada. Parece até ter um toque de luxo.

Baby é também uma palavra fofinha, adequada a todas aquelas características que adoramos nos nossos bebés. A pele suave e cheirosa, as pregas nas pernas gordas, o sorriso desdentado que nos aquece o coração. Bate certo com o cheirinho da Mustela, com as roupinhas em miniatura e com os dedinhos minúsculos e perfeitinhos dos nossos pequenos.

Babywear é a combinação perfeita. Associa a ternura do bebé com a sofisticação do Wear. É areia fina por baixo dos pés, brisa salgada no rosto e sol quente nos ombros. Tem um pouco de radical e de excêntrico, muito de admirável e às vezes é até ligeiramente invejável.

É uma espécie de surf do relacionamento entre pais e filhos

babywearing-tem-estilo.jpgFoto por Suzanne Shahar, CC BY-ND

 

E em português?

Deixando de lado as versatilidades do Inglês e as restrições do Português para o babywearing, as possibilidades continuam a ser variadas e qualquer uma delas pode ser utilizada. Nenhuma é uma tradução completa de babywearing, nem transmitem o mesmo nível de fascínio, mas são alternativas possíveis… ou talvez não:

Vestir o bebé?

Fazemo-lo todos os dias. Várias vezes ao dia. Uma fralda que não isolou bem, um arroto mais arrojado, um pouco de entusiasmo a mais a comer… Não é bem isso!

Pendurar o bebé?

Parece-me sempre que vou trilhá-los no estendal da roupa para os pôr a secar, agarrados pelas orelhas com aquelas molas de cores que todos temos em casa.

Amarrar o bebé?

Imagino logo dois senhores dos serviços sociais, vestidos de fato escuro, a fazerem-nos uma visita cá a casa e a perguntar o que quero dizer exatamente com “amarrar o bebé”.

Usar o bebé?

Novamente, parece ser um tema para uma conversa estranha com os senhores de fato escuro.

 

E vocês, que expressões usam no vosso dia-a-dia? Ou que expressões conhecem que são particularmente estranhas?

Eu, por agora, vou-me manter fiel ao babywearing.

É cool!!!

cool-definicao
Fonte da imagem: Google.com, define: cool