Como carregar um recém-nascido?

No fim da gravidez todas nós ficamos ansiosas por finalmente conhecer os nossos rebentos mas acho que também todas nós temos um bocadinho de medo de como é que será a nossa vida depois da criança nascer. Nada nos transforma tanto como um filho. Mas isto todas vocês sabem muito bem.

The moment a child is born, the mother is also born. She never existed before. The woman existed, but the mother, never. A mother is something absolutely new.

Bhagwan_Shree_Rajneesh_and_disciples_in_darshan_at_Poona_in_1977.jpg

Bhagwan Shree Rajneesh and disciples in darshan at Poona in 1977
Fonte: wikipedia, Universal Public Domain (CC0)

A minha descoberta pessoal

O que foi uma descoberta para mim era que este nascimento repete-se cada vez que temos um filho. Quando a mãe de um bebé se transforma numa mãe de dois, e depois de três, a mudança continua. A realidade é sempre diferente, a nossa vida do dia-a-dia é sempre diferente e nova. Eu não esperava isto e foi uma surpresa total. Mas tal como os filhos são todos pessoas diferentes e individuais também nós próprias estamos a transformar-nos em pessoas diferentes.

Quando o nossa segunda filha nasceu, eu já tinha experiência em carregar um bebé. Carregamos o nosso rapaz quase desde nascimento. Mesmo assim, tive medo de começar a andar com a Irene no pano. Parecia me tão pequenina, tão frágil, que tinha medo de a magoar.

De qualquer modo, saímos da maternidade com ela no sling de argolas! Tão bom!

Escrevo tudo isto para vos dizer que todas estas emoções e indecisões são normais e para vos assegurar que todos passamos por esta fase de medo. E todas vencemos!

 

Simplifiquem a vossa vida!

Mais tarde ou mais cedo vamos ter tudo em cima dos nossos ombros. As tarefas não cabem nas 24h do dia e vamos voltar a re-organizar a nossa agenda e aqui vem o sling ou o pano a ajudar.

Até nas simples saídas, naquelas primeiras que nos dão cabo dos nervos, para o teste do pezinho ou para a pesagem no Centro da Saúde, tudo vai ser mais fácil. Em vez de carregar o “ovo”, mais o saco de fraldas, mais a criança, vamos levezinhas com nosso bebé no colo

 

Mas… como devo fazer?

As formas que eu acho mais indicadas e que respeitam melhor a fisiologia do recém nascido são as amarrações que criam um “U” com o pano. Estas são também as formas recomendadas pela ClauWi® Escola de Babywearing, porque não vão forçar a abertura das pernas do bebé acima dos 60 graus. Isto não significa que outras amarrações sejam más, mas estas são melhores.

Apresento-vos de seguida três opções, para carregarem os vossos recém-nascidos na barriga, no peito ou nas costas.

1. Sling de argolas: Posição barriga a barriga

carregar-recem-nascidos.jpgFoto por Julia Wronikowska Nunes, All Rights Reserved

Esta foi mais uma das minhas “descobertas” do nosso segundo filho. Recomendo muito! Com o mais velho não usávamos sling de argolas nesta idade, só tivemos um pano elástico.

O sling é muito mais fácil e rápido de colocar do que pano elástico, mais fresco, mais curto e muito menos assustador.

Com o sling de argolas, até o marido a carregou desde os primeiros dias!

 2. Pano de tecido: amarração Kangaroo

Não é a amarração mais fácil de fazer mas vale a pena de treinar. Oferece bom apoio às costas da mãe, bem simétrico e deixa o bebé sossegado a dormir. E quando chega a hora de comer ou mudar a fralda é muito fácil de tirar o bebé!

Kanguru-Livada-CC-ARR.jpg
Foto por Livada, All Rights Reserved

 

3. Pano de tecido: amarração Ruck

Podem pensar que estou louca, nenhuma mãe recente vai pôr o seu recém-nascido nas costas! Especialmente se for o primeiro filho, em que duvidamos de tudo o que fazemos, livra-me Deus!

Mas acreditem me que às vezes é a única solução para dar um banho ao irmão mais velho que também precisa da atenção da mãe nesta altura de emoções fortes em que aparece um novo irmão.

RuckSack-Livada-ARR.jpgFoto por Livada, All Rights Reserved

Das três opções, a posição barriga a barriga com o sling de argolas é a minha favorita. E a vossa, qual é?